Do Púlpito

Os desafios do dia a dia 


As dificuldades da sociedade contemporânea são tantas, que se tornaram objeto de estudo de diversas ciências humanas há, pelo menos, três séculos e, até hoje, continuam rendendo muitas teses, dissertações e livros carregados de dúvidas, na tentativa de encontrar soluções para os dramas da vida humana. E, apesar do avanço do conhecimento teórico e tecnológico, milhões de pessoas continuam sofrendo com terríveis doenças, desemprego, pobreza, violência, injustiça e outras mazelas que, ao invés de diminuir suas incidências, parecem crescer a largos passos. Para o cristão, o consolo reside naquele que é o Criador de todas as coisas. No entanto, nem sempre a confiança em Deus está 100% de acordo com a Palavra dEle, e, assustados pelas circunstâncias da vida, muitos entram em desespero, e acreditam que não há mais solução para os seus problemas.

ESQUECER AS CIRCUNSTÂNCIAS

É necessário olhar para as promessas bíblicas como algo a ser aplicado e, realmente, vivenciado para que, de fato, o indivíduo descanse em Cristo. “É importante saber que a maneira de olharmos o que acontece ao nosso redor é determinante na qualidade de vida que vivenciamos. A Bíblia recomenda a “andarmos por fé e não pelo que vemos”, pois as circunstâncias muitas vezes são desfavoráveis, impedindo qualquer tentativa de avanço (...). Precisamos aprender a ver as possibilidades desenhadas por Deus no chão desse mundo. É claro que existem muitos pontos negros no horizonte. Mas nem por isso devemos fixar o olhar neles (...). Dentro desta análise, vamos descobrir que, embora encontremos dificuldades – e ninguém pode negar que a vida é difícil – temos um Deus que está sempre do nosso lado, abrindo a nossa visão, transformando as impossibilidades em possibilidades, e as derrotas em vitórias”. Deus é o Deus do impossível.


DEIXAR DE OLHAR PARA O MUNDO

Assim, este mundo jamais pode servir de referência, já que o mal está instalado nele. “Atualmente, a palavra de ordem é ‘crise’. Estamos ouvindo, lendo, respirando este ar poluído de incertezas, de pessimismo, de desmotivação. Estas crises tão prolongadas não estão afetando simplesmente o nosso dinheiro, a nossa economia, mas estão principalmente atacando o nosso espírito, toldando a nossa visão”. Com esta certeza, só resta a fé nas promessas do Senhor, como um Pai fiel, em quem o cristão deve depositar a sua confiança e jamais duvidar de Suas promessas. Cito como mau exemplo o desânimo do povo de Israel no deserto. “A certa altura da jornada, Moisés precisou enviar homens para espiar a terra prometida pelo Senhor. Os encarregados da empreitada voltaram depois de examinar o território e relataram a Moisés o que haviam visto. A primeira notícia foi uma confirmação da promessa de Deus. A terra, disseram eles, era realmente boa; era uma terra que manava leite e mel. No entanto, os olhos daqueles homens não se fixaram apenas nas suas maravilhas, no seu fruto, mas se detiveram na observação das dificuldades que cercavam”.


Em Números 13:28-32,33 está descrita a reação pessimista de alguns homens de Israel. “O povo que lá vive é poderoso, e as cidades são fortificadas e muito grandes (...) Todos que vimos são de grande estatura. Vimos também os gigantes, os descendentes de Enaque, diante de quem parecíamos gafanhotos, a nós e a eles”.


Com esta resposta dos espias, muitos deixaram de acreditar nas promessas de Deus. “A realidade, para a maioria dos espias enviados por Moisés, foi de impossibilidades. Eles haviam esquecido as palavras de Deus, segundo as quais era necessário tomar aquela terra; expulsar os que nela habitavam. Mas o medo, a falta de confiança em Deus derrotou o coração daqueles dez homens. Não podemos nos enganar. O mundo em que vivemos não é amigo de Deus. A Bíblia diz que o mundo (sistema mundano) nos odeia. Mas nem por isso vamos desistir de lutar. Temos dentro de nós Aquele que é bem maior do que todas as crises que nos estão ameaçando”.


ACREDITAR NAS PROMESSAS

A firmeza de apenas dois dos espias conseguiu reverter a situação - eles acreditaram na possibilidade de entrar e viver naquela terra. E ao observarem o choro, o desânimo do povo, disseram: A terra pela qual passamos a espiar é terra muito boa. Tão somente não sejais rebeldes contra o Senhor, e não temais o povo dessa terra, porquanto são eles nosso pão; retirou-se deles o seu amparo, e o Senhor é conosco; não os temais (Números 14:7,9).


Concluo exortando todos os cristãos a seguirem este exemplo. É isto o que devemos fazer: olhar para as promessas de Deus, e não para os desafios, as crises, gigantes que nos ameaçam e atemorizam. Se o Senhor nos mandou caminhar, devemos fazê-lo tranquilo, crendo que as nossas impossibilidades serão sempre aproveitadas por Ele, para que fiquem provados em nossas vidas o Seu poder e Sua bondade. Sempre é bom dar passos concretos, e não apenas aceitar os ensinos como uma boa informação a mais. Procurem aproximar-se da Palavra de Deus, lendo, estudando, meditando em tudo o que o Senhor disse. Isto os ajudará a vencer as lutas de hoje. 

No mais, lembro da importância da oração e da autoridade espiritual dada ao crente, através de Jesus Cristo. “Ore, pedindo a Deus que faça de sua fraqueza, força. Deixe fluir do seu coração aquela porção de graça, a fim de que outros sejam edificados, e possam também vencer as difíceis tarefas da vida. Saiba que Deus o criou não para ser um derrotado, um fracassado. Você foi criado para ser Seu colaborador, divulgando através da sua vida, de seu caminho por este mundo, a mensagem do Seu Reino. As armas para a batalha já foram providenciadas por Jesus.


Ele disse: “Eu lhes dei autoridade para pisarem sobre serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; nada lhes fará dano algum” (Lucas 10:19).


Autor: Bp. Tito Oscar – Igreja de Nova Vida