O que Deus Dez Por Mim
Perseguição cristã

Perseguição cristã: quem a impediu de ver seu pai pela última vez?

Chen Ni é uma cristã. Por causa de sua crença em Deus, ela foi capturada e presa pela polícia do Partido Comunista Chinês, e foi forçada a deixar sua casa e fugir. Mesmo quando seu pai estava seriamente doente, ela não pôde visitá-lo uma única vez. Como Chen Ni atravessou esse período de tristeza e desespero? A narrativa a seguir nos leva à história de Chen Ni, e por meio de suas verdadeiras experiências podemos entender como os cristãos da China são perseguidos.


Um dia em maio de 2017, quando Chen Ni estava longe de casa, evitando a prisão pelo Partido Comunista Chinês, ela recebeu uma carta de sua irmã. Nela estava escrito que seu pai havia falecido no dia 28 de abril. E antes de seu tempo acabar, ele queria ver Chen Ni mais uma vez, mas ele não ligou, porque estava preocupado que ela fosse presa se voltasse para casa, e então morreu com pesar em seu coração. 

Ao ouvir que seu pai havia falecido, Chen Ni caiu em lágrimas, e sentiu uma dor tremenda. Lamento, ressentimento e desamparo encheram seu coração ao mesmo tempo, e cenas do passado apareceram diante de seus olhos.


Quando Chen Ni era jovem, seu pai tinha grande carinho por ela e, à medida que crescia, o cuidado de seu pai a acompanhava. Depois de casar, às vezes ela ia visitá-lo em sua casa. Contudo, desde que ela começou a crer em Deus, seu irmão e sua cunhada (esposa de seu irmão), que acreditavam nos rumores sobre os crentes inventados pelo Partido Comunista Chinês, tentaram forçá-la a desistir de sua fé. Eles até ameaçaram chamar a polícia se ela continuasse. A partir de então, ela não ousou mais ir encontrar o pai com frequência. Mais tarde, quando seu irmão e sua cunhada souberam que ela ainda acreditava em Deus, eles se juntaram ao marido dela para persegui-la. No entanto, não importava o quanto eles tentassem restringir e impedir que acreditasse em Deus, ela continuava insistindo nisso e em cumprir seu dever, porque ela sabia que o homem foi criado por Deus, que tudo que todos têm vem de Deus, e que é lei do céu e da terra que as pessoas devem acreditar e adorar a Deus. Depois, o marido de Chen Ni chamou o pai dela e pediu que ele a detivesse, ou então ele chamaria a polícia. Ouvindo isso, seu pai rapidamente disse a ela: “O governo do Partido Comunista Chinês não permite que as pessoas creiam em Deus. Você deve ter cuidado e esconder bem os livros das Palavras de Deus em casa.” Essas palavras carinhosas aqueceram seu coração, e ela sentiu um pouco de conforto.



No início da primavera de 2016, Chen Ni foi presa pela polícia do Partido Comunista Chinês durante um encontro na casa de uma irmã. A fim de fazer Chen Ni revelar o paradeiro dos líderes e do dinheiro da igreja, quatro policiais a cercaram e a espancaram de forma brutal, e tentaram forçá-la a assinar uma confissão que blasfemava contra Deus. Diante daqueles policiais brutos, Chen Ni ficou muito assustada. Em desespero, ela se lembrou as palavras de Deus, de repente: “E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo” (Mateus 10:28). Chen Ni entendeu que não importava o quão cruel e brutal a polícia fosse, eles só poderiam danificar seu corpo físico, mas sua alma estava nas mãos de Deus e cada respiração foi dada por Ele. Deus era quem as pessoas deveriam mais respeitar e temer. Não importava como a polícia a torturasse, não importava que métodos tortuosos eles empregassem, ela nunca seria infame como Judas, que traiu Deus e depois se arrastou em uma existência desprezível. Sob a orientação das palavras de Deus, Chen Ni teve fé e força. Ela se recusou a assinar a confissão e superou a pressão da polícia e a tortura brutal. Como resultado, ela ficou detida por 15 dias sob a acusação de “perturbar a ordem social”. Quando foi solta, um oficial disse para ela: “Agora suas informações estão no registro. Fique em casa, depois de sair daqui. Se você continuar crendo em Deus e pregando o Evangelho, podemos prendê-la a qualquer momento. Se te prendermos novamente, lhe daremos uma sentença severa, então veremos o quanto mais você perturbará a ordem pública!”. Para evitar ser presa novamente, Chen Ni não ousou ir para casa e se escondeu na residência de uma irmã. Mas ela não conseguia parar de se preocupar com seu pai idoso e queria muito ir visitá-lo.


Depois de um tempo, Chen Ni recebeu uma carta de sua irmã. Nela dizia que a polícia ia à sua casa em intervalos de poucos dias para perguntar o paradeiro dela. Para encontrá-la, o Partido Comunista Chinês monitorou os celulares de sua família e vigiou não apenas sua casa, mas também a do seu pai. Sua irmã disse a ela para não voltar para lá.


Ao receber essa notícia, a esperança de Chen Ni de voltar para casa frustrou-se. Ela não podia voltar para ver seu pai ou ligar para ele, porque se fosse encontrada pelo Partido Comunista Chinês, ela seria capturada e enviada para a prisão novamente. Diante dessas circunstâncias, ela ficou com a mente atormentada. Tudo que podia fazer era orar a Deus com sinceridade e pedir a Ele que a guiasse na senda pela frente. Muitas vezes, quando via alguns idosos, ela pensava em seu pai e esperava vê-lo em algum lugar por acaso. 


Uma vez, ela realmente o encontrou em uma rua. Ela ficou cheia de alegria no princípio, mas quando o viu andando devagar, cambaleando e com o rosto muito enrugado, seu coração se apertou e as lágrimas rolaram por suas bochechas. Seu pai preocupado disse várias vezes para Chen Ni: “Tenha cuidado quando estiver fora.” Olhando para velho pai, ela queria muito ficar com ele por mais algum tempo. Contudo, em todas as ruas da China há capangas e dispositivos de vigilância do Partido Comunista Chinês. Se ela fosse descoberta, poderia correr o risco de ser presa a qualquer momento. Então, ela teve que sair com pressa. Vendo seu pai pelo retrovisor ali sozinho por um longo tempo, ela se sentiu extremamente infeliz. Depois disso, Chen Ni tinha grande esperança de que ela fosse capaz de ver seu pai de novo, mas ela nunca pensou que esse encontro acidental acabaria sendo um último adeus para eles. 

Ela não teve a chance de vê-lo novamente. Relembrando isso, ela sentiu como se uma faca estivesse sendo enfiada em seu coração, e lágrimas escorriam pelo seu rosto...



Em sua dor e sofrimento, Chen Ni não pôde evitar desenvolver um intenso ódio pelo Partido Comunista Chinês. Ela sabia que a razão pela qual não poder se reunir com sua família e ver seu pai antes dele morrer foi devido à perseguição do Partido Comunista Chinês. Ela viu essas palavras de Deus: “Durante milhares de anos, essa tem sido a terra da imundice, é insuportavelmente suja, a miséria abunda, fantasmas correm desenfreados por toda parte, enganando e iludindo, fazendo acusações infundadas,[2] sendo impiedosos e viciosos, pisoteando essa cidade fantasma e a deixando coberta de cadáveres; o fedor da decadência cobre a terra e permeia o ar, e é fortemente vigiada.[3] Quem é capaz de enxergar o mundo além dos céus? O diabo amarra firmemente todo o corpo do homem, apaga seus olhos e sela seus lábios com firmeza. O rei dos diabos tem causado alvoroço por vários milhares de anos até o dia de hoje, quando ainda mantém forte vigilância sobre a cidade fantasma, como se fosse um palácio de demônios impenetrável; enquanto isso, essa matilha de cães de guarda observa com olhos ferozes, com um profundo medo de que Deus os pegue desprevenidos e os extermine, deixando-os sem um lugar de paz e felicidade. […] Lacaios! Retribuem bondade com ódio, há muito desdenham de Deus, abusam de Deus, são selvagens ao extremo, não têm a menor consideração por Deus, saqueiam e pilham, perderam toda a consciência, não têm nem um resquício de bondade e tentam os inocentes à insensatez. Ancestrais dos antigos? Líderes adorados? Todos eles se opõem a Deus! Sua interferência deixou tudo sob o céu em estado de escuridão e caos! Liberdade religiosa? Direitos e interesses legítimos dos cidadãos? São todos truques para encobrir o pecado!” (de ‘Obra e entrada (8)’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus revelaram de modo claro a face feia e maligna do Partido Comunista Chinês. Ele é um partido político ateísta, marxista-leninista, que sempre considerou as organizações religiosas como forças inimigas. Os membros do partido são os demônios de Satanás, inimigos de Deus. Desde que conquistou o poder em 1949, o Partido Comunista Chinês reprimiu de forma dura e perseguiu os que acreditavam na religião, e designou o protestantismo e o catolicismo como “cultos do mal” e a Bíblia como “material de leitura do culto maligno”. 

Bíblias foram queimadas em grande número na China e a sua impressão foi proibida. Um número incontável de protestantes e católicos também foram capturados, monitorados ou perseguidos, ações que têm sido amplamente condenadas por nações ocidentais e organizações internacionais de direitos humanos. 


Desde que Deus Todo-Poderoso, Cristo dos últimos dias, começou Sua obra de julgamento começando com a casa de Deus, na China, em 1991, crentes de todas as denominações que amam a verdade ouviram as palavras de Deus Todo-Poderoso e reconheceram a autoridade e poder contidos nelas e sabem que é a voz de Deus. Esses crentes confirmaram que Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus que retornou e todos aceitaram a obra de Deus dos últimos dias. 

Mas o Partido Comunista Chinês tem pavor de pessoas que creem e seguem a Deus, e assim inventou vários rumores, falsas ofensas criminais e mentiras sobre a Igreja de Deus Todo-Poderoso. O partido também ameaça ou coage os parentes dos membros da igreja e os ordena a dificultar e impedir os cristãos de acreditarem em Deus. 

O Partido Comunista Chinês emitiu muitas vezes documentos confidenciais e mobilizou um grande número de policiais e soldados armados em escala nacional, a fim de reprimir e capturar cristãos. O partido usa até mesmo de cidadãos comuns para espionar cristãos e oferece recompensas em dinheiro por informações sobre eles. Os agentes especiais do partido investigam de forma continuada os cristãos e usam o monitoramento de alta tecnologia para rastreá-los e capturá-los. Incontáveis cristãos na China foram detidos e jogados na cadeia, e alguns foram torturados até a morte. Além disso, foram forçados a fugir e nunca mais voltar para suas casas. Chen Ni pensou em como ela era uma dessas pessoas, e que se não fosse o Partido Comunista Chinês criando mentiras para confundir seu marido, irmão e cunhada, levando-os a se oporem à sua fé em Deus, e se não fosse pela perseguição do partido, ela poderia ter voltado para casa e seria capaz de cumprir seu dever de filha para com seu pai e vê-lo antes que morresse. 

Quando ela pensou na perversidade ilimitada do partido, Chen Ni ficou furiosa. Nós, humanos, fomos criados por Deus. É uma verdade auto-evidente que a humanidade deve acreditar e adorar a Deus. Mas o Partido Comunista Chinês, que aparentemente exibe cartazes promovendo a “liberdade religiosa”, usa, de maneira secreta, uma variedade de métodos desprezíveis para impedir que os cidadãos da China acreditem em Deus e, assim, atrapalham a obra Dele. Sua finalidade é dominar a obra de Deus, fazer da China uma zona de ateísmo, controlar os inocentes sob seu poder e, eventualmente, realizar sua pretensão de escravizar as pessoas para sempre. O Partido Comunista Chinês é realmente malicioso! Com todos os fatos à mão, Chen Ni pôde ver que o partido sempre tenta confundir os incrédulos e aqueles que não podem distinguir sua verdadeira natureza. Quanto aos crentes que perseveram na crença em Deus que não podem ser enganados, o Partido Comunista Chinês os impede à força e usa qualquer método disponível para forçá-los a abandonar e trair Deus, e a juntar-se a eles na resistência, ações que inevitavelmente levam à aniquilação por Deus. 


Chen Ni agora podia ver com clareza a verdadeira face enganosa do Partido Comunista Chinês e sua natureza perversa de resistir e odiar a Deus. Ela podia ver como os comunistas chineses eram como demônios que devoram as pessoas vivas, e a determinação de trair o partido e seguir a Deus até a morte ficou mais forte em seu coração.

 

Depois, ela leu mais das palavras de Deus: “Deus pretende usar uma parte da obra dos espíritos malignos para aperfeiçoar uma parte do homem, para que essas pessoas consigam entender completamente os feitos dos demônios, e para permitir que todos entendam de fato seus antepassados. Só então os humanos podem se libertar por completo, não apenas renunciando à posteridade dos demônios, mas ainda mais a de seus ancestrais. Essa é a intenção original de Deus de derrotar completamente o grande dragão vermelho, para fazer com que todos os homens conheçam a verdadeira forma do grande dragão vermelho ao arrancar sua máscara e enxergar sua verdadeira forma. É isso que Deus quer alcançar, e esse é Seu objetivo final na terra, pelo qual Ele tem feito tamanha obra; Ele visa a realizá-lo em todos os homens. Isso é conhecido como a manobra de todas as coisas pelo propósito de Deus” (de ‘Capítulo 41’ das interpretações dos mistérios das palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”).

A orientação das palavras de Deus permitiram a Chen Ni entender que a sabedoria de Dele é exercida com base nos enredos de Satanás e que o Partido Comunista Chinês é apenas uma ferramenta na obra de Deus. O partido quer usar prisões e perseguições para eliminar as crenças cristãs, enquanto Deus as usa para permitir que as pessoas que creem Nele vejam com clareza o que é a justiça e o que é a maldade, o que são as coisas positivas e o que são as negativas, e para que enxerguem a face feia e a essência maligna de odiar a verdade e resistir a Deus, a fim de que, assim, eles abandonem tudo isso e sigam a Deus para trilhar a senda certa da vida. 

Depois que ela experimentou o quanto Deus se esforçou por ela, Chen Ni pôde sentir de maneira profunda quão poderoso e sábio Ele de fato é! Chen Ni lembrou-se dos momentos em que ela esteve fraca e sofrendo durante a opressão e a ameaça de prisão pelo partido comunista, e como foram as palavras de Deus que lhe trouxeram orientação e conforto na ocasião. As palavras Dele lhe deram confiança e força, e permitiram que ela tivesse a determinação para sofrer o necessário e a coragem de trair as forças do mal do Partido Comunista Chinês a fim de buscar a justiça. Chen Ni sentiu de verdade que Deus estava ao seu lado, protegendo e cuidando dela e sua fé em Deus tornou-se mais forte, enquanto seu conhecimento sobre Ele tornou-se mais real. Tais ganhos eram coisas que ela não teria como obter em um ambiente de facilidade e conforto. 

Durante essas tribulações, embora Chen Ni tivesse sofrido a dor física, ela havia amadurecido muito em sua vida e pessoalmente tinha experimentado o quão real e prático o amor de Deus pelas pessoas de fato é!

Chen Ni pensou que, embora seu pai não a tenha visto antes de morrer, ela tinha certeza de que ele sempre a amou e apoiou sua crença em Deus, e que se ela pôde crescer nessa adversidade, ganhar a verdade e viver uma vida com significado. Isso era algo que teria confortado seu pai. Pensando a respeito, ela enterrou a tristeza no fundo de seu coração e resolveu seguir a Deus, andar pela senda certa da vida, adorar o Criador para sempre e cumprir seu dever como ser criado, não importando o quanto o Partido Comunista Chinês a tenha barrado e perseguido!

Por: Chen Ni, China




Fonte: https://medium.com/louvado-o-salvador-jesus/persecution-of-christians-77ef8f8b8a53