O que Deus Dez Por Mim
"Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Teu nome dá glória, por amor da tua benignidade e da Tua verdade" (Salmos 115: 1)

Olá eu sou a Lítízia Dinora da Silva e Costa de 23 anos, nasci em Luanda-Angola.

 

Venho de uma família de católicos e metodistas nominais, por esta razão também me tornei uma católica até aos meus 18 anos. Fui batizada na católica aos meus oito anos de idade. Fiz todos os sacramentos faltando apensas o casamento. Devido a catequese tive de pertencer a um grupo na igreja católica, que por sinal era um grupo carismático.

 

Eu era uma adolescente cheia de problemas e que vivia amargurada e chorava muito, várias vezes já tentei tirar a própria vida. Eu estava frustrada, mas era uma frustração silenciosa, eu dormia a chorar e acordava da mesma forma e por vezes nem gostava de falar com as pessoas da minha casa.

 

Eu sentia que as pessoas deste grupo carismático gostavam de mim e que se importavam com a minha saúde, pois desde pequena eu tinha muitos problemas de saúde. Já desmaiei duas vezes na catequese e aquelas pessoas do grupo iam pra minha casa orar (ahhh... Como isso me confortava).

 

Então eu permaneci naquele grupo durante quatro anos, primeiro fui a secretária dos pré-adolescentes e posteriormente a vice coordenadora até o ano de 2010, ano em que recebi uma bolsa de estudo para Ucrânia.

 

Este ano foi diferente dos outros anos que eu já tinha vivido, conheci três meninas que também iriam para Ucrânia, e nos tornamos amigas.

 

Quando chegamos na Ucrânia, encontramos todo tipo de convites para o pecado, foi aí que eu conheci alguém e passamos a namorar, mas o nosso namoro era totalmente errado, até que uma das meninas que tinha algo diferente das outras que eu conheci, decidiu ter estudos bíblicos comigo e com as outras meninas.

 

Ela falou sobre a fornicação, a forma indecente como me vestia. E eu achava que era cristã, mas eu estava completamente cega e perdida, sem direção.

Passando alguns meses essa menina continuou insistindo comigo e com as outras meninas, começamos a ter estudos todos os finais de semana e a ter orações diárias, mas eu ainda não era cristã.

 

Era apenas uma menina católica carismática, imatura e pecadora. Mas Deus sempre teve um plano para minha vida, e disso eu não pude fugir.

 

Deus foi trabalhando em mim mesmo sem eu perceber, fui aprendendo que as coisas que eu fazia na igreja católica e na minha vida de fornicadora não agradavam a Deus, que na verdade eu estava a servir a um Deus desconhecido e não o Deus da Bíblia.

 

Certo dia eu senti Deus me repreendendo por meio das Sagradas Escrituras, quando eu meditei e vi que fornicar era pecado, que eu me vestia como ou pior que uma prostituta com aquelas roupas sensuais, que era idolatra e muito mais, eu comecei a chorar, chorei muito ao saber que na verdade eu era pecadora. Deixei de fornicar, mas a lascívia me cercava dia pois dia, mas Deus foi me moldando aos poucos.

 

As pessoas que olhavam para mim e para as meninas que se tornaram irmãs pra mim, começaram a notar uma diferença em nós, deixamos de participar nos seus convívios, nosso modo de vestir foi mudando e para nós era só momentos de estudos bíblicos.

 

Depois dessa fase toda, eu conheci alguém que amo muito que pela graça de Deus, a amada Silvânia me apresentou aquele que hoje eu tenho como um pai na fé tal como Paulo foi pai de Timóteo na fé.

 

Deus com o Seu grande propósito imutável meteu esse alguém para me pastorear. Deus usou essa pessoa de forma tremenda para me mostrar as verdades bíblicas, lembro-me que o primeiro estudo que tivemos foi sobre o julgo desigual, até hoje não me esqueço, pois foi muito impactante na minha vida. Descobri que não devo servir a Deus e continuar a fazer as coisas do mundo, por esta razão eu abri mão do meu relacionamento de jugo desigual, para obedecer à Deus, pois este relacionamento, só me fazia desobedecer a Deus.

 

No princípio foi duro pra mim, deixar alguém que eu muito gostava, mas Deus me mostrou que sacrifício maior foi o de Cristo Jesus que morreu pelos meus pecados, teve a pior morte da história da humanidade.

 

Depois de começar a abrir mão de muitas coisas e sentir o Espírito Santo me transformar, eu percebo que agora sim eu sou cristã, que Deus me salvou um dia, não porque eu mereço ou deixei de fazer uma coisa ou outra, mas por Sua graça eu sou salva, não vem de mim, mas é dom de Deus!

 

Meu pai na fé, que foi um instrumento nas mãos de Deus para me mostrar as verdades bíblicas, me falou de coisas duras e totalmente bíblicas, eu sentia a espada da verdade rasgar meu coração e me mostrar quem eu sou (um nada) que foi salva porque Deus decidiu assim por amor do Seu Filho amado, Jesus Cristo.

 

Ao longo da minha caminhada como cristã eu venho enfrentando várias tribulações e aprendendo muita coisa. Uma das primeiras coisas que enfrentei foi o fato de deixar a igreja católica para servir ao único Deus verdadeiro e adorar única e exclusivamente a Ele. Minha família não recebeu isso de bom agrado.

 

Meus pais ficaram furiosos comigo e passaram a me ver como uma estranha, e quando eu disse que seria batizada em uma igreja Batista isso só piorou a fúria deles, mas quando Jesus decide, o que poderá fazer o homem, acaso poderá invalidar o que Deus já escreveu?

 

Pela graça de Deus fui batizada e meus pais nada puderam fazer para impedir. O outro lado da minha vida como cristã é o lado estudantil, como cristã devo dar o meu exemplo.


Mas chegou momentos em que fazia coisas erradas como: ensinar na prova ou até mesmo cabular, não tinha conhecimento do que, o que eu fazia também era pecado. Mas pela graça de Deus eu aprendi que era errado e parei de fazer essas coisas, porém surgiram várias situações:

 

Uma delas foi quando eu e minha companheira de quarto, estávamos a terminar as provas do primeiro ano, nosso professor de anatomia queria dinheiro, disse que tínhamos mais de vinte negativas nas avaliações que fazíamos diariamente, mas nós dizemos que não iriamos pagar, pois corrupção é pecado, começamos a orar e pedir direção a Deus, e depois fomos lá na faculdade para poder fazer as avaliações e depois refazer os exames, pois não podíamos deixar nenhuma cadeira senão seríamos expulsas da faculdade.

 

Quando chegamos na faculdade o professor olhou para nós e disse: vocês só têm oito negativas eliminam e depois veem fazer o exame, pois não posso agir mal com vocês senão também serei castigado por Deus, pela graça de Deus tudo se resolveu e conseguimos eliminar a cadeira e passar para o segundo ano.

 

No segundo ano as coisas foram mais difíceis, eu estava sempre doente, minha segunda casa era o hospital. Passava mais tempo no hospital do que na própria faculdade, eu sentia dores todos os dias. Fui fazendo as consultas até que fui diagnosticada com endometriose, problemas nos rins, garganta, na coluna enfim muitos problemas. E por conta disto eu fui operada duas vezes, a primeira devido a um quisto no ovário e a segunda apendicite.

 

Éramos apenas eu e a Miroslávia, as outras meninas foram viver numa cidade distante da nossa, aí a altura dos exames eu estava sempre nos hospitais, até que perdi a prova final do primeiro semestre de fisiologia, a Miroslávia já tinha feito e disseram que ela tinha eliminado, mas quando ela foi para colocarem a nota na caderneta, uma professora que gosta de receber dinheiro disse que ela não eliminou a cadeira e que tinha de ir a recurso. No dia do recurso eu fui operada e ela teve que deixar de fazer a prova para ficar no hospital.

 

Quando recuperei fomos fazer a prova, mas o que recebemos foi humilhação por parte dos professores, nós éramos as únicas dos cinco grupos de estrangeiros e mais alguns grupos de ucranianos que não tínhamos aceitado a corrupção, então aquilo pareceu que estávamos a desafiar os professores. Até que chegou o dia em que nos reprovaram, nós orávamos, mas dizíamos que se fizesse somente a vontade de Deus. E assim foi feita a vontade de Deus.

 

Fomos expulsas da faculdade, do lar, acabamos por ficar ilegais no país, mas o nosso Deus nunca nos abandonou, mesmo passando fome e frio, Deus estava lá nos dando forças para prosseguir e ao mesmo tempo Deus nos ensinou algo muito precioso: "Buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça e obedecer a Deus e não aos homens".

 

Pela graça de Deus repetimos o segundo ano felizes, não porque decidimos estar felizes, mais porque Deus colocou isso em nossos corações, que devemos sempre nos alegrar no Senhor.

 

Minhas tribulações não param por aqui, assim como de todo e qualquer cristão, vivo lutando com as minhas enfermidades e dores diárias, mas em tudo sei que não me foi dado somente a graça de crer em Cristo, mas também por Ele padecer. Pois a vós foi concedido, por amor de Cristo, não somente o crer Nele, mas também o padecer por ele.

 

E com toda sinceridade termino de contar meu testemunho dizendo que Deus está me moldando como sempre fez por meio das enfermidades. "A cada vez que as dores me apertam e recebo um diagnóstico novo eu fico triste, mas logo Deus me leva para escrituras e me mostra as seguintes passagens: II Coríntios 12:9 E disse-me: A Minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza, para que em mim habite o poder de Cristo."

 

"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." (Romanos 8:28)

 

Que em minha vida eu possa continuar a louvar a esse Deus maravilhoso que me deu vida estando morta em meus delitos e pecados.

 

"Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Teu nome dá glória, por amor da Tua benignidade e da Tua verdade." (Salmos 115:1)



Louvado seja Deus por tudo!

 


Autora: Lítízia Dinora da Silva e Costa

Fonte: bereianos.wissite.com/ebra/litizia