Reflexão

O Cisne e a Gralha


Certo dia, um belo cisne pousou na praia onde uma gralha estava à procura de lesmas. Por alguns momentos, a gralha ficou parada, estupefata, contemplando o cisne, admirando a sua beleza. E em seguida, perguntou:

 

"De onde você veio?"

"Eu vim do céu!", respondeu o cisne.

"Céu? Onde é o céu?", quis saber a comedora de lesmas.

"O quê? Você não sabe? Você nunca ouviu falar do céu?" devolveu o cisne.

 

E o belo pássaro passou a descrever a riqueza e a grandiosidade da Cidade Eterna. Falou das ruas de ouro, das portas e muralhas feitas de pedras preciosas; do rio da vida, puro como o cristal, onde às margens está a árvore cujas folhas são cura para as nações. Em termos eloquentes, o cisne procurava descrever a felicidade dos moradores dessa cidade. Mas parecia não conseguir despertar o menor interesse por parte da gralha.

 

Finalmente, a gralha perguntou:

"Mas me diga uma coisa: há lesmas lá?"

"Lesmas? No céu? Oh, não; claro que não."

"Então", concluiu a gralha, prosseguindo na busca por lesmas ao longo da praia, "você pode ficar com esse céu para você. O que eu quero é lesma".

 

E Moody aplicava: "Quantos jovens, a quem Deus concedeu as vantagens de terem sido criados num lar cristão, deram as costas para Ele e passam a viver procurando lesmas! Quantos homens sacrificam a esposa, a família, tudo o mais, por causa das lesmas do pecado! Quantas adolescentes deliberadamente se desviaram do amor dos pais e de casa para descobrir tarde demais que trocaram o céu por lesmas!"

 

A exortação de Paulo aos Colossenses continua válida: Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra (Colossenses 3:1,2).

 

Autor: Pr. D. L. Moody (1837-1899)